Guia definitivo sobre empréstimo: Tudo que você precisa saber

Está procurando um empréstimo e não sabe bem onde recorrer? Acompanhe tudo sobre o assunto, a seguir, com o Site Notícia Oficial

Guia completo sobre Empréstimo

Atenção você que está precisando de um empréstimo e não sabe bem onde recorrer! Nós, do Notícia Oficial preparamos um guia completo para você, respondendo as principais dúvidas sobre este assunto, com explicações sobre cada tipo de empréstimo. Veja abaixo um material completo para te deixar bastante esclarecido sobre este tema.

Os empréstimos podem, sem dúvida alguma, te ajudar em várias situações do seu dia a dia e, até mesmo, a quitar aquela dívida que o incomoda tanto. Apesar disso, quando você não se atenta para alguns cuidados na contratação, eles podem se tornar verdadeiros problemas e complicar sua situação financeira.

Foi pensando exatamente nisso que nós, do Site Notícia Oficial, preparamos este guia para te mostrar que, caso você saiba como contratar um empréstimo, ele pode te ajudar e não te afundar, ainda mais, nas dívidas! Vem com a gente, acompanhar este guia completo sobre empréstimos?

O que é um empréstimo e como funciona?

O empréstimo pessoal é aquele realizado por um banco, uma instituição financeira, ou, ainda, uma cooperativa. Ele possui como principal característica não ser preciso indicar como o dinheiro será usado, o que não é visto, por exemplo, em um financiamento, em que o destino do dinheiro precisa estar claro.

Em troca desse empréstimo, a instituição financeira cobra uma taxa de juros mensal, que varia de empresa para empresa e de acordo com a negociação com cada cliente. Esse valor também pode ser influenciado pela análise de crédito do solicitante e o total do montante emprestado, que podem gerar um aumento nas taxas cobradas, com o objetivo de evitar a inadimplência.

Não há uma finalidade única para o empréstimo pessoal, como o próprio conceito indica. Dessa forma, este tipo de empréstimo é uma opção para qualquer tipo de consumidor, independente de quais sejam seus objetivos, especialmente aqueles que estão com dívidas e os que desejam investir em uma empresa ou em uma qualificação profissional, por exemplo. O empréstimo ainda pode ser requisitado para pagar um custo de capacitação e até cobrir os gastos de uma viagem.

Quando você realiza seu pedido de empréstimo pessoal, a instituição financeira empresta o dinheiro para você, desde que tenha um documento de identidade válido em território nacional. Para obtê-lo, basta que você negocie diretamente as condições do contrato, como taxas a serem incluídas e o número de parcelas que serão pagas, uma vez que não é necessário informar a finalidade do pedido de crédito.

Tipos de empréstimos

Empréstimo pessoal

O empréstimo pessoal sem garantia pode ser feito por qualquer um que tenha no mínimo 18 anos e que necessite do serviço oferecido por bancos e instituições financeiras. Ela deverá pagar mensalmente o valor acordado em forma de boleto, débito em conta-corrente ou outra forma negociada previamente, caso consiga a aprovação do crédito.

Você pode usar o valor liberado para qualquer finalidade, sem ter que especificar para que quer a grana, e o pagamento dele deverá ocorrer de forma mensal, de acordo com o estabelecido previamente em contrato.

Empréstimo consignado

Esta modalidade de crédito costuma ser mais barata e com juros menores, por ter uma maior garantia de pagamento, já que o desconto ocorre diretamente da folha de pagamento. Apesar disso, vale ressaltar que existem algumas regras para que esse empréstimo seja disponibilizado.

O pagamento do valor mensal, no caso do empréstimo consignado, ocorre diretamente com descontos na folha de pagamento do solicitante e ele só está disponível para aposentados e pensionistas do INSS (Instituto Nacional da Seguridade Social).

De forma geral, o valor pode ser pago em até 72 dias e, mesmo que não haja uma legislação específica sobre o assunto, o censo comum indica que boa parte dos bancos só libera esse valor para pessoas de até 80 anos de idade.

Vale destacar, ainda, que há um limite máximo que pode ser descontado da folha de pagamento. Não se pode ter um percentual acima de 35% do total recebido que seja destinado ao empréstimo consignado. Apesar desse percentual, vale dizer que é possível ter mais de um empréstimo vigente e sendo descontado, desde que esse limite seja respeitado.

Empréstimo Com Garantia

Esta modalidade de crédito facilita a aprovação do empréstimo, uma vez que , a pessoa dá um bem como garantia de pagamento (como veremos mais abaixo).

Ela terá de pagar as parcelas a cada mês, mas, se por ventura não conseguir pagar tal dívida, o bem pode ser tomado para arcar com o débito. Nesse caso, além da documentação convencional, será analisada ainda a do bem usado na garantia.

Dentre os empréstimos com garantia, destacam-se:

Empréstimo Com Garantia de Imóvel

O empréstimo com garantia de imóvel permite que você contrate um crédito através do oferecimento de um imóvel como garantia, incentivando que você quite sua dívida em dia. Grosseiramente falando, trata-se de uma hipoteca. Esta é uma ótima opção para autônomos, já que a renda mensal não vai ser a única opção para que você possa quitar sua dívida.

Empréstimo com Garantia de Veículo

O empréstimo com garantia de veículo permite ao tomador do crédito oferecer o próprio veículo como uma garantia de quitação do empréstimo. Sendo assim, esta se apresenta como uma excelente opção para a solicitação do crédito.

Penhor

O penhor é considerado um tipo de empréstimo com garantia. Nesse caso, no entanto, é comum que o bem empenhado possua um valor mais baixo e possa ser transportado. Assim como no refinanciamento, o valor do seu crédito será relativo ao preço do bem. E no caso do não pagamento das parcelas, ele poderá ser tomado de você.

Em um exemplo prático, você pode empenhar uma joia. E, se por acaso o bem for tomado de você, o impacto é bem menor do que se você for despejado da sua moradia ou se tomarem seu carro.

O penhor também possui taxas mais baixas, uma vez que você dá uma segurança à instituição credora. Mas vale a pena destacar que, de forma geral, seu bem é subvalorizado. Ou seja, por mais que sua joia possa custar R$ 2 mil, talvez ela seja avaliada em apenas R$ 1.200,00 por exemplo.

Geralmente feito pela Caixa Econômica Federal (CEF), seu bem fica tomado até que você quite integralmente seu empréstimo. O dinheiro pode ser retirado na hora.

Cheque especial

O cheque especial também pode ser considerado uma forma de empréstimo, uma vez que a pessoa pode usar o cheque especial para pagar uma conta com uma quantia que não possui no momento.

O correntista que se vale dessa opção tem um dia específico que o valor será cobrado de sua conta-corrente ou pode optar por fazer o pagamento assim que tiver o dinheiro. Vale ressaltar que este tipo de empréstimo só deve ser utilizado em caso de emergência, uma vez que os juros cobrados costumam ser bem elevados.

Cartão de crédito

Embora não pareça, o cartão de crédito também é considerado um tipo de empréstimo, já que ele também oferece esta modalidade, quando permite que se faça compras e que se pague posteriormente por elas. Além disso, ainda é possível em algumas situações, sacar uma quantia em dinheiro do limite do seu cartão de crédito e depois pagar com juros.

Antecipação do 13º salário

Outra modalidade de empréstimo possível é a antecipação do 13º salário. Com esta modalidade, dá para solicitar os valores do 13º antes da hora. O banco depois, vale destacar, vai ficar com os valores recebidos e mais uma taxa de juros. Caso você esteja com dívidas e precise urgentemente encontrar uma maneira de quitá-las, pode ser interessante, mas é algo que precisa ser feito com bastante cautela.

Antecipação da Restituição do Imposto de Renda

Esta antecipação ocorre em alguns bancos, que liberam um determinado valor na conta do solicitante, mas depois eles ficam com os valores entregues na restituição do Imposto de Renda. Em um primeiro momento, pode parecer algo bastante interessante, uma vez que você recebe dinheiro útil para o seu planejamento financeiro, mas vale alertar que você vai pagar juros por isso e ainda abrirá mão do dinheiro que receberia dentro de algum tempo.

Esse tipo de empréstimo só é liberado para quem possui conta corrente em algum banco e indica essa instituição durante a declaração. Um ponto positivo é que as taxas de juros são baixas, já que existe uma garantia de recebimento por parte da instituição financeira.

Empréstimo Empresarial

O empréstimo empresarial é um contrato que a empresa faz com uma instituição financeira, para receber determinada quantia de dinheiro, que deve ser devolvida em um prazo preestabelecido entre as partes e mediante o pagamento de juros.

As instituições financeiras têm o direito de conceder ou não esse empréstimo, uma vez que cada uma delas tem as suas regras e especificidades de concessão. Outro detalhe que merece ser destacado se refere ao direito do cliente que pede o montante de pagar o que deve antes do prazo, tendo como vantagem, os juros reduzidos na hora do pagamento.

Crédito para Capital de Giro

O crédito para capital de giro é voltado para as empresas que podem usar o valor para equilibrar o fluxo de caixa, quitar dívidas ou até mesmo fazer novos investimentos. Vale lembrar que é preciso que a empresa esteja regularizada. Além disso, os bancos costumam ter produtos voltados, não apenas para o tamanho das empresas, como também para seus ramos de atuação.

Antecipação de Recebíveis ou desconto de duplicatas

Esta é mais uma modalidade que está disponível apenas para as empresas. Ela permite que se receba os valores que seria pagos posteriormente como duplicatas, cheque pré-datado e cartão de crédito, antes mesmo da data prevista.

O banco repassa esses valores, de forma antecipada, e depois, ao serem recebidos, são utilizados para quitar a dívida. O lado positivo deste tipo de crédito é que ele permite que você antecipe o recebimento de vendas mensais, por exemplo.

Crédito Rural

Esta modalidade de empréstimo, como o próprio nome já sugere, é destinada a produtores rurais, agroindústria e cooperativas que pode ser feito com o apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Este tipo de empréstimo se assemelha um pouco ao financiamento, já que o dinheiro precisa ser destinado para o uso rural e, nesse caso, será preciso que você apresente um projeto, voltado para esta área, para a instituição financeira.

Empréstimo para MEI

O empréstimo para MEI (Microempreendedor Individual) funciona da mesma forma que as demais modalidades de crédito disponíveis no mercado, sejam para pessoa física ou jurídica. As instituições financeiras que oferecem esse crédito emprestam o recurso para o CNPJ MEI, que deve pagar as parcelas mensais acrescidas de juros, nos prazos anteriormente acordados.

Empréstimo com Portabilidade de crédito

Este tipo de modalidade de crédito lhe permite que o empréstimo seja transferido para outra instituição financeira. Isso significa que se você possuir um empréstimo em uma determinada instituição financeira, você pode transferi-lo para outra, passando a obedecer as exigências da nova instituição.

Normalmente, isso ocorre quando uma pessoa está pagando taxas de juros muito elevadas e encontra outras instituições com melhores condições e opta por transferir essa dívida.

Como fazer a portabilidade de empréstimo

Nesse caso, é preciso que você vá até o banco e peça um consolidado da dívida, que, via de regra, fica pronto em até um dia. Após este processo, é preciso começar a pesquisar em outras instituições para saber qual pode oferecer melhores condições de pagamento para você. Caso encontre uma proposta mais interessante para seu bolso, basta solicitar a portabilidade de crédito.

A partir daí, o novo banco vai quitar a sua dívida junto ao seu antigo banco e você vai passar a ter que pagar as parcelas ao novo banco. Após o processo, os novos valores e condições de pagamento serão acordados e deverá haver um contrato que discrimine as informações do novo acordo.

Qual a diferença entre empréstimos e financiamentos?

O empréstimo e o financiamento são duas formas de você conseguir dinheiro emprestado com um banco ou uma instituição financeira, apesar disso, a finalidade do dinheiro é diferente. No empréstimo, você não precisa informar, à instituição financeira, para que vai utilizar o dinheiro solicitado. Sendo assim, você pode usar o dinheiro para o que quiser, como pagar dívidas, fazer compras, viajar ou qualquer outra opção que lhe convenha.

Por sua vez, no financiamento, o valor solicitado terá um destino específico. Por exemplo, o financiamento de imóvel, é para a compra de uma casa, apartamento ou imóvel comercial, o financiamento de carros é para a compra de automóveis, e assim por diante.

Apesar dessas diferenças, há também semelhanças entre ambas as modalidades, uma vez que nas duas formas de se solicitar dinheiro, se necessita de aprovação de crédito e o valor emprestado é pago com o acréscimo de juros.

Como é feita a análise de crédito para conseguir um empréstimo?

Ao receber um pedido de empréstimo pessoal, os bancos e as financeiras não conhecem você. Dessa maneira, as instituições buscam algumas alternativas para saber mais sobre você, sobre seu histórico de pagamento no mercado, o que é chamado de análise de crédito. A análise de crédito pessoal possui cinco fases:

  • Solicitação de dados cadastrais
  • Análise de restrições em seu nome
  • Análise do perfil de crédito incluindo score de crédito
  • Análise do comprometimento de sua renda
  • Análise de seus documentos

Quais são os custos de um empréstimo

As taxas de juros mensais que os grandes bancos utilizam varia entre 4% e 6%. Apesar disso, há o diferencial da facilidade com que você consumidor consegue fazer a solicitação, uma vez que é comum que você tenha uma conta-corrente aberta na instituição e não deseja passar pela burocracia para trocar de banco, mesmo podendo obter vantagens caso faça esta troca.

É possível que o banco ofereça mais crédito que o necessário e o solicitado. Por isso, é fundamental que você calcule exatamente o valor total do empréstimo e quanto o cliente pode pagar por mês, além de ler atentamente o contrato. O empréstimo pessoal deve ser uma solução financeira e não mais um problema.

As instituições que oferecem o empréstimo online, geralmente possuem taxas de juros mais baixas do que o oferecido nas empresas bancárias tradicionais. Por conta do tamanho e de não precisarem de manutenção em um local físico, os valores concedidos são menores. Ainda assim, é preciso analisar se estas instituições pedem comprovação de renda e quais são as condições de pagamento.

Taxa de juros

A taxa de juros é a contrapartida da instituição financeira, seja ela banco, cooperativa ou mesmo uma fintech, para emprestar o dinheiro à vista. São uma espécie de segurança para a instituição.

Como existem diversas opções de instituições no mercado, é natural que cada uma tenha um valor de taxas diferente, o que pode variar desde 1% até 30% por mês. Por isso, é preciso que você cliente compare todas elas para achar um lugar que, de fato, te ofereça taxas mais baixas, bem como condições reais de pagamento.

CET (Custo Efetivo Total)

As taxas de juros impactam diretamente o valor final que o cliente precisa pagar em cada parcela mensal, ou seja, no Custo Efetivo Total (CET). Quanto menor forem essas taxas, menor é necessário desembolsar para arcar com as parcelas.

O CET é um direito do consumidor e uma obrigação da instituição, mesmo que, em empresas bancárias físicas, só é apresentado ao cliente na hora de assinar o contrato. Por outro lado, é possível realizar uma simulação de empréstimo online, que disponibilizará o custo aproximado do empréstimo antecipadamente.

IOF (Imposto sobre Operações Financeiras)

As taxas de juros, apesar de mais importantes, vale ressaltar, não são o único custo de uma operação de empréstimo. Há também a cobrança do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), que incide sobre o valor total emprestado, ignorando as taxas de juros.

Figurinha carimbada em todos os tipos de operações financeiras, o IOF de empréstimos é de 0,38% mais uma alíquota diária, que é limitada a 3% ao ano, o que corresponde a 0,0082% ao dia.

Qual é o empréstimo mais barato do mercado?

A resposta para esta pergunta é: depende – do seu objetivo com o empréstimo, do valor que irá contratar, do tempo que pretende pagar por ele, de sua situação financeira. São muitas variáveis. O ideal é, depois de avaliar sua situação financeira, ver qual se encaixa mais com o seu caso, além de qual é o mais vantajoso para o momento em que você está passando.

Vale destacar que quando um empréstimo não é quitado, a pessoa contrai uma dívida e fica inadimplente. Uma pesquisa do SPC com a CNDL de 2018 aponta que de todas as pessoas que contrataram algum empréstimo naquele ano, um terço ficou com o nome sujo por ter atrasado as prestações.

Para que você não entre nessa terrível estatística, é importante que você tenha um controle claro de seus gastos, além de um bom planejamento financeiro.

Preciso pagar algo para solicitar um empréstimo?

Não! Nunca faça qualquer tipo de pagamento para conseguir seu empréstimo pessoal. Fique atento e desconfie de anúncios e empresas que oferecem empréstimo fácil ou empréstimo para negativados com taxas de juros muito baixas. Encerre imediatamente a negociação se solicitarem qualquer tipo de pagamento antecipado, mesmo que seja para aval ou fiador.

Cuidados e riscos na contratação de empréstimos

Ter precaução é sempre uma atitude que irá evitar problemas, principalmente quando se fala sobre a contratação de empréstimos, justamente por se tratar de uma dívida de longo prazo. Dessa forma, o empréstimo deve ser muito bem pensado e planejado, antes de ser solicitado.

Acompanhe alguns cuidados que você deve ter ao contratar um empréstimo:

  • Solicite o dinheiro apenas com bancos ou instituições financeiras confiáveis;
  • Simule bastante e pesquise muito, antes de fechar um empréstimo;
  • Desconfie das ofertas de dinheiro fácil ou com juros muito abaixo do mercado;
  • Certifique-se sobre a segurança da instituição, antes de informar seus dados pessoais;
  • Não assine qualquer contrato sem fazer uma leitura bastante cuidadosa do mesmo.

Quando empréstimo vale a pena?

Diferentes tipos de empréstimo são mais adequados para diferentes situações. Em algumas ocasiões, vale sim a pena solicitar um empréstimo. De modo geral, as pessoas que solicitam este crédito se dividem em dois grupos:

  • Pessoas que precisam pagar uma dívida ou um débito já existente;
  • Pessoas que precisam de dinheiro para adquirir um bem ou realizar um plano, como viajar, concluir uma faculdade ou fazer cursos de aperfeiçoamento profissional, por exemplo.

Onde conseguir um empréstimo

Você pode solicitar seu empréstimo, de forma presencial ou online, nos bancos, instituições financeiras ou nas fintechs. Para que você faça sua solicitação, é preciso que você se encaminhe até o local, ou acesse o site ou aplicativo da instituição correspondente, para fazer o pedido e verifique se o valor é aprovado.

Para realizar o processo, é importante que você saiba exatamente a quantia que deseja e tenha todos os cálculos de seu empréstimo baseados neste valor.

Como solicitar um empréstimo

Para que você solicite seu empréstimo, geralmente, é necessário que você apresente alguns documentos, tais como: CPF, RG, comprovante de renda e comprovante de endereço.

Há também a opção de solicitar seu empréstimo de forma totalmente online. Para isso, é preciso que você entre no site do banco do qual você é correntista, sites especializados em empréstimo ou nas páginas das financeiras ou fintechs que oferecem tal serviço.

Qual é o melhor empréstimo para você?

Para responder a esta pergunta, temos a ferramenta perfeita. Clique no botão abaixo e descubra, de acordo com seu perfil, qual é o empréstimo que melhor se encaixa no seu orçamento!

DESCOBRIR O EMPRÉSTIMO IDEAL