Quem tem a menor taxa de juros, cartão de crédito ou empréstimo pessoal?

Vale mais a pena pagar uma dívida com cartão de crédito ou pedir um empréstimo pessoal? Confira aqui qual é o crédito que tem a taxa de juros mais baixa!

mulher asiática estressada calculando as taxas de juros de cartão de crédito e pensando em fazer um empréstimo

O cartão de crédito e o empréstimo pessoal são duas linhas de crédito muito conhecidas entre os brasileiros, especialmente porque têm a taxa de juros mais altas do mercado, sendo dois grandes motivos de endividamento no Brasil.

Mas, ao mesmo tempo que são dois créditos caros, também podem nos ajudar bastante na hora de pôr as finanças em dia ou até mesmo realizar nossos sonhos, já que um permite o parcelamento e o outro nos possibilita ter dinheiro extra para quitar dívidas, abrir o próprio negócio, enfim.

Então, qual desses dois créditos escolher? É melhor para o seu bolso solicitar um empréstimo pessoal e ter dinheiro à vista ou pagar com o cartão de crédito em várias vezes? Quem oferece os juros mais em conta?

Bom, saiba que não há uma resposta fixa para essa pergunta, pois tanto as taxas de juros do cartão de crédito quanto dos empréstimos pessoais variam bastante. Dessa forma, tudo depende do valor do crédito ou da dívida, do prazo para o pagamento e do seu perfil quanto consumidor. 

Então, se você não abre mão da economia, preparamos este conteúdo exclusivo sobre as taxas de juros do cartão e do empréstimo pessoal, para que possa saber exatamente onde terá o melhor custo-benefício. Vamos lá?!

Taxa de juros: cartão de crédito versus empréstimo pessoal

A taxa de juros brasileira é uma das mais caras ao redor do mundo, ou seja, nós brasileiros somos um dos consumidores que mais pagam juros para ter crédito no mercado, infelizmente.

Contudo, isso não nos impede de:

Então, na prática, se compararmos o crédito em 12 vezes, por exemplo, no cartão ou no empréstimo pessoal, onde vamos pagar mais juros?

Para ficar mais fácil de entender, fizemos uma breve comparação desses dois tipos de crédito abaixo, confira!

  • Taxa de juros do rotativo do cartão de crédito

As taxas do rotativo são cobradas quando deixamos de pagar o valor integral da fatura. 

Assim, o cliente tem a opção de, naquele mês, pagar apenas o mínimo, que corresponde a 15% da fatura mensal.

Outra forma de entrar no rotativo do cartão e que muitos não sabem é ao realizar um saque em dinheiro através do cartão de crédito.

Atualmente, a taxa média dos juros do rotativo do cartão é de 329% ao ano, o que dá em torno de 12,5% ao mês.

  • Taxa de juros do empréstimo pessoal

A taxa de juros para empréstimo pessoal também é elevada, pois nesses casos, como não há uma garantia de pagamento, os bancos e instituições financeiras que liberam o crédito aumentam os juros.

Essa é uma forma de diminuir o prejuízo caso o cliente não consiga quitar o empréstimo solicitado.

Hoje em dia, os juros do empréstimo pessoal estão em uma média de 105% ao ano, o que dá uma taxa de 6,10% ao mês.

Como podemos notar, as taxas cobradas no cartão de crédito são mais do que o dobro do que as praticadas no empréstimo não consignado.

Sendo assim, se você tiver que escolher entre um ou outro, pode ter certeza que um empréstimo pessoal é mais vantajoso para suas finanças.

Leve em consideração as taxas de juros extras nesses dois tipos de crédito

Considerando apenas as taxas de juros, já vimos que pedir um empréstimo pessoal vale mais a pena, certo?

No entanto, é preciso ficar de olho nas “taxinhas” extras que podem ser cobradas, além das taxas de juros. 

No caso de quem usa cartão de crédito, podem haver taxas referentes a anuidade, que dependendo do banco emissor podem pesar bastante no bolso. 

Além disso, é importante verificar se o seu cartão de crédito cobra:

  • Taxa para emitir o cartão físico ou até mesmo em caso de perder ou ser roubado  e ter que pedir uma segunda via;
  • Valor adicional para quem faz saques em dinheiro com o cartão de crédito, pois a taxa é alta;
  • Taxas referentes ao pagamento de contas através do cartão na função crédito;
  • Cobranças extras para aumentar o limite disponível para compras, especialmente nos cartões que liberam o aumento de forma emergencial.

Já no caso dos empréstimos, fique atento principalmente com a CET (Custo Efetivo Total).

Na prática, a cobrança CET é referente a todos as tarifas e despesas relativas ao contrato de empréstimo de dinheiro.

Estamos falando de impostos como IOF, taxa referentes a registros, custos com seguros, entre outros.

Tudo isso encarece o empréstimo e é por essa razão que você deve ficar de olho, pois em alguns casos a taxa de juros pode ser baixa, mas o CET é alto.

Empréstimo ou cartão de crédito: Qual é o mais fácil de conseguir?

Agora que você já conhece mais sobre a taxa de juros do cartão de crédito e do empréstimo pessoal, deve estar se perguntando sobre qual é mais acessível, não é mesmo?

Bom, em ambos os casos, normalmente, a instituição irá fazer uma análise de crédito sobre você como consumidor, para saber se está negativado ou não.

Geralmente, quem está com o nome sujo tem mais dificuldades para conseguir um empréstimo pessoal ou um cartão de crédito.

Além disso, alguns bancos e financeiras costumam pedir para você comprovar renda durante o pedido.

Por isso, se você está endividado e sem renda, pode ser um pouco mais complicado ter acesso à essas duas linhas de crédito.

Mas, via regra geral, é mais fácil conseguir um empréstimo pessoal para quitar suas contas e sair do vermelho do que um cartão de crédito.

Sem contar que no cartão de crédito as chances de fazer novas dívidas são muito mais altas, pois nos empréstimos sabemos exatamente quantas parcelas são e temos um valor fixo por mês.

Então, além de pensar sobre quais são as taxas de juros mais baratas, avalie também os custos “embutidos” e esse possível descontrole em suas finanças!