Aumento da taxa Selic: o que muda no seu dia-a-dia?

Para a alegria de muitos brasileiros, a taxa Selic subiu para 3,50%… Mas, o que essa alta influencia em nossa vida? Confira mais detalhes no tema de hoje!

homem asiático com um lápis coçando a cabeça olhando para uma caderneta

A taxa Selic é um dos principais indicadores utilizados no mercado financeiro hoje no Brasil. Resumidamente, para que você entenda melhor sobre o que é taxa Selic, estamos falando da taxa básica de juros da economia brasileira e ao contrário do que muitos pensam, ela não afeta somente os investimentos, mas tudo ao nosso redor.

Essa taxa é utilizada como base para praticamente tudo que envolva juros, seja no dinheiro que você aplicou nos investimentos em renda fixa, naquele empréstimo bancário que está pagando, no financiamento da sua casa e até mesmo na inflação nas compras e contas do cotidiano, como a alta nos preços do supermercado, por exemplo.

O problema é que o sobe e desce na taxa Selic valor afeta diretamente a nossa vida financeira. Desde o ano passado, a Selic vem passando por oscilações drásticas em pouco tempo, onde em fevereiro estava em 4,25% e em junho já baixou para 2,25% ao ano.

E esse não foi o pior resultado, pois de junho de 2020 à fevereiro de 2021 chegou à marca de 2,0% ao ano, uma queda histórica. Por isso, após 6 anos, o Banco Central decidiu elevar a taxa básica de juros em 1,5%. Assim, a Selic atualmente encontra-se em 3,50%.

Mas, o que isso muda em nosso dia-a-dia? A alta da Selic é bom ou ruim? Como isso irá impactar a vida do brasileiro? Bom, dúvidas é o que não faltam sobre o assunto e é por isso que preparamos este guia completo, para que você entenda exatamente como sua vida financeira deve reagir daqui para frente com a Selic anual em 3,50%. Vamos conferir?!

O que muda com o aumento da taxa Selic?

A alta da Selic 2021 foi pensada pelo Banco Central como uma medida para conter o avanço da inflação no país, que como sabemos não está ajudando o trabalhador assalariado, especialmente em decorrência do aumento na conta de luz, nos preços dos alimentos, gás de cozinha e combustíveis.

Entretanto, embora a medida de aumentar a taxa básica de juros ajude a diminuir a inflação durante o ano (espera-se que em 2021 a inflação fique em média de 3,75%), pode acabar prejudicando quem tem financiamentos em aberto, justamente porque os juros praticados irão encarecer as parcelas.

Mas, nem só de má notícia vivemos e a vantagem é que os investimentos financeiros irão render mais com a Selic em alta.

Por isso, no contexto geral, os especialistas em finanças afirmam que é o momento de guardar mais e gastar menos. 

Isso significa que quem pretende investir, o mercado está vantajoso, já para quem quer fazer o uso de cartão de crédito, empréstimos ou financiamentos, talvez seja melhor pensar melhor. 

A ideia é baixar o consumo dos brasileiros momentaneamente, pois com a menor demanda (menos dinheiro circulando), os preços tendem a cair, reduzindo a inflação.

O que esperar dos investimentos com a Selic em alta?

A taxa Selic é usada como referência para a rentabilidade nos investimentos, principalmente nas aplicações em renda fixa.

Dessa forma, se a sua dúvida é sobre onde investir com a alta da Selic, saiba que títulos de renda fixa, como poupança, CDB’s e tesouro Selic, LCI’s e LCA’s são ótimas opções.

Isso porque como a Selic é o principal indexador nesse tipo de investimento, é de se esperar maiores ganhos, devido aos juros mais elevados.

Por exemplo, se a caderneta de poupança rende 70% da Selic, quanto maior a taxa básica de juros, maior o rendimento ao longo do tempo, concorda?!

Como ficam os empréstimos e financiamentos com a taxa Selic elevada?

Sempre que há um aumento da Selic, automaticamente, acontece um reajuste completo nos juros cobrados nos financiamentos e empréstimos.

Porém, a oscilação não é tão grande. Mas, irá afetar o bolso do brasileiro de certa forma. A boa notícia no momento é que a taxa Selic atual não subiu tanto.

Assim, não será um fator que impedirá os brasileiros de comprarem a casa própria ou solicitar um empréstimo para abrir o próprio negócio, por exemplo. 

Cuidado com o uso do cartão de crédito e o cheque especial!

Com um aumento na taxa básica de juros, os juros cobrados no uso do cartão de crédito e no cheque especial irão aumentar também.

Só para ter uma noção real sobre o que estamos falando, os juros do cartão de crédito já subiram em média 1,35% durante o mês.

Por isso, se você não quer comprometer seu orçamento familiar, é importante moderar o uso do cartão e tentar ao máximo não utilizar o limite do cheque especial.

O aumento da taxa Selic nos índices de emprego 

Quando há uma maior alta da taxa Selic, além de influenciar na redução do consumo, o crédito também fica mais caro. 

Com isso, o investimento por parte das empresas sofre queda, justamente porque não é um bom momento para pedir dinheiro emprestado, por exemplo.

Além disso, como o consumo diminui, as vendas e a produção das empresas não crescem e consequentemente, o número de contratações é reduzido.

Então, é de se esperar que com a Selic em alta, o mercado de trabalho ande em passos lentos, infelizmente.

Conclusão 

Portanto, agora você já sabe o que é taxa Selic e como ela impacta a sua vida em todos os sentidos, certo?!

Embora por um lado seja produtivo ter a taxa de juros em alta (como nos investimentos, por exemplo), por outro lado é preciso ter cautela.

Como os próprios especialistas financeiros sugerem, é hora de economizar mais, juntar dinheiro e aplicá-lo para render!