Reserva de emergência: O que é, como fazer e onde manter?

Guia completo para você aprender de uma vez por todas como funciona e como montar sua reserva financeira para emergências!

Empresário, colocando moedas para salvar o frasco e escrever no caderno. economizando dinheiro, simbolizando criar uma reserva de emergência

Ter uma reserva de emergência é o melhor caminho ou um dos passos mais importantes dentro da educação financeira. É basicamente a solução para os imprevistos no orçamento, a forma de saber lidar com as situações adversas que possam surgir na vida, dando ao consumidor mais segurança e estabilidade para lidar com suas finanças.

Pessoas sempre passam por momentos em que às vezes a renda mensal não é o suficiente para sanar ocorridos não planejados no orçamento familiar, como problemas de saúde, demissão, obras emergenciais, troca de pneu ou até mesmo em um caso que se precise de dinheiro para investir a médio e longo prazo, por exemplo.

Ou seja, saber lidar com o seu dinheiro de maneira positiva é pensar no amanhã sem que traga prejuízos pessoais ou familiares. Por isso, continue conosco que vamos destacar os principais pontos na hora de criar sua reserva financeira e como ter as melhores rentabilidades para multiplicar a quantia poupada!

O que é reserva de emergência?

Quando falamos em “reserva de emergência” é pensado numa poupança ou algo como uma renda extra que fica guardada para possíveis pagamentos de despesas fixas ou eventuais imprevistos no orçamento…

Contudo, esse é um pensamento totalmente equivocado sobre a reserva financeira, visto que esses valores guardados são para suprir necessidades ou situações de emergência, como no caso de ser demitido e não ter direito ao seguro-desemprego, por exemplo.

Assim, basicamente, podemos definir a reserva de emergência como um fundo no qual você deposita dinheiro para usar especificamente em momentos críticos.

Dessa forma, você estará amparado financeiramente para lidar com quaisquer tipos de problemas que possam surgir ao longo da vida, como casos de doença, pandemias, pagamentos de dívidas, entre outros.

Qual é a diferença entre reserva financeira e investimento?

Reserva financeira é o que toda família brasileira deveria fazer e poucos não fazem. Trata-se de economizar dinheiro em gastos desnecessários ou prazeres momentâneos, a fim de criar uma “poupança” para custear emergências.

Já o investimento é tido como uma aplicação do seu dinheiro, ou seja, uma forma de multiplicar seu patrimônio, tendo um objetivo final que não o uso para emergências, por exemplo.

Mas, entenda que a diferença entre reserva de emergência e investimento não está no local onde você aplica seu dinheiro e sim na forma como usará no futuro.

Isso porque em ambos os casos você poderá guardar ou investir nos mesmos tipos de investimentos, como títulos públicos do Tesouro Nacional, Tesouro Selic, CDB’s e outros que achar rentável.

Como funciona uma reserva de emergência?

A reserva de emergência deve ser feita de forma planejada. Sempre que puder estude sobre o tema, busque livros, vídeos ou cursos de especialistas.

Além disso, é importante ver se o banco que você tem conta oferece programas que também enfatizam essa forma de vida, afinal, é um pilar básico para ter as finanças equilibradas.

Mas, de início, faça um planejamento familiar pensando no caso de acontecer algo e que todos fiquem amparados pela segurança pensada lá atrás.

Pense que todo mês existirão contas que precisam ser pagas e as sobras devem entrar para os investimentos futuros ou até mesmo aposentadoria. Não fique parado e faça acontecer essa metodologia.

Qual é o valor ideal da reserva de emergência?

Os especialistas alertam que não existe uma fórmula para estipular o valor da reserva financeira, pois tudo depende dos valores ganhos por cada pessoa.

A recomendação é juntar na sua reserva um total que dê para suprir entre 4 e 12 meses do seu atual custo de vida.

Por exemplo, se você ganha R$3 mil por mês e tem de despesas um custo de R$2 mil, então, pensando em uma reserva de emergência de 6 meses, você deveria guardar ao menos R$12 mil.

O ideal é fazer dinheiro sobrar no final do mês para ir nutrindo sua reserva, mas sabemos que isso é quase impossível nos dias de hoje, com a inflação nas alturas.

Por isso, caso não sobre dinheiro, a dica é economizar no dia-a-dia para diminuir o valor dessas despesas no seu orçamento e assim ter dinheiro para colocar na sua reserva financeira.

Qual a importância da reserva financeira?

Se pudéssemos definir a importância da reserva de emergência, diríamos que é o meio para ter mais tranquilidade no futuro e não passar apertos!

Contudo, é uma forma também de um pai ou mãe de família se reeducar e passar para os filhos que é importante desde cedo guardar cada centavo, mesmo que seja dentro do cofrinho de casa.

Com esse simples exercício, que começa na infância, você ensina seus filhos o valor do dinheiro e evita que no futuro tenham problemas financeiros, como viver endividado e com o nome sujo, por exemplo.

Para que serve a reserva de emergência?

Como o próprio nome sugere, é uma forma para que as pessoas tenham hábito de melhorar sua vida financeira e não passem por apertos futuros.

Além disso, ter uma reserva serve para saber lidar com os ganhos e não dar um “passo maior que as pernas”, controlando suas despesas, usando seu dinheiro com sabedoria, mantendo as finanças dentro de casa estáveis e evitando a inadimplência.

Imprevistos

  • Gastos com o carro: O pneu do veículo furou entra nessa modalidade por ser algo do cotidiano
  • Gastos com a casa: Choveu e o teto está com infiltração e precisa de uma obra emergencial

Desemprego

  • Sendo CLT: Pela lei a pessoa receberá o Seguro Desemprego e outras atribuições. Tenha em mente que até nessa situação precisa ter uma reserva
  • Sendo PJ/MEI: Por ser autônomo preocupe-se em ter o hábito de guardar dinheiro a todo custo. Invista ou aplique na poupança

Saúde

  • Reserva na vida: Tenha valores que um dia poderão ser utilizados para o seu maior bem que é vida com saúde
  • Reserva na morte: É importante dizer que até na hora do adeus é preciso ter uma reserva para enterro ou então planos oficiais

Dívidas

  • Controle: Pague em dia suas dívidas e não entrem em “bolas de neve” ou gastos desnecessários que vão trazer prejuízos futuros

Quem deve ter reserva de emergência?

Todo mundo deve pensar no futuro e a reserva de emergência é um fator voltado para que as pessoas tenham um tipo de vida melhor resolvida.

Por isso, todo mundo deveria ter uma reserva financeira, afinal, segurança é a palavra para quem se preocupa com as finanças e com o bem-estar próprio e familiar.

Como montar uma boa reserva de emergência?

A regra começa com o gastar menos nas despesas e poupar mais no cotidiano, para fazer seu salário render mais ao longo do mês.

Dentro de sua casa é necessário ter um equilíbrio de contas e gastos e ser prudente na hora de abrir a mão para certos prazeres da vida, que precisam existir também.

Não é errado viajar, ir ao cinema, sair para jantar, comprar roupas e sapatos. Mas, dentro desse universo, é necessário existir um meio termo.

O ato de comprar um tênis, por exemplo, não quer dizer que é necessário comprar quatro ou mais pares, sendo que muitos ficarão na caixa por muito tempo.

Ser direto com os gastos de maneira sábia e concisa é ter a consciência que outra parte do seu dinheiro precisa de uma destinação correta.

Por isso, tenha pelo menos 30% da sua renda voltada para segurança. Comece agora mesmo fazendo uma reserva de 3, 6 e até 12 meses e os frutos virão.

Caso, mesmo com essa reeducação financeira, você não esteja conseguindo dinheiro para criar sua reserva de emergência, a dica é fazer uma renda extra, procurar aquele dinheiro esquecido no banco, enfim.

Onde guardar o dinheiro da reserva de emergência?

A regra é clara, não deixe o dinheiro parado, encontre um lugar que tenha liquidez, segurança e previsibilidade, mas nunca a poupança.

O ideal é apostar em investimentos da renda fixa, que são tão seguros quanto, mas a remuneração é maior, como o CDI, CDB, Taxa Selic ou Fundo DI.

Geralmente essas aplicações pagam entre 97% a 105% sob seu dinheiro, com rendimentos oscilando na média de 6% em 12 meses, com o grande diferencial que você tem a liberdade para sacar a qualquer momento que precisar.

Qual o melhor investimento para reserva de emergência?

O melhor investimento para criar uma reserva de emergência é aquele que concilia bom rendimento, liquidez, custo pequeno, segurança e baixa volatilidade.

Pense em Tesouro Selic, Fundos de Investimentos, CDB e CDI. É algo que necessita bater com o seu perfil e trazer mais comodidade ao seu estilo de vida com pouquíssimos riscos.

Conta com rentabilidade por CDB ou CDI

  • PicPay: O CDI gera até 120% de rendimentos em qualquer dia útil da semana e é maior que a poupança
  • Banco Inter: No CDB, o banco rende 100% do CDI. Sabendo que o DI poderá chegar em 3,4% em 12 meses
  • PagBank: Na carência de 365 dias o dinheiro rende 140% do CDI com aplicação mínima de R$500
  • C6 Bank: Atrelada à inflação, essa opção tem sido paga aos clientes 10,25% em 12 meses
  • BTG+: Aqui o indicador chega em 104% no CDI com resgate a qualquer momento

Deixar investido

  • Tesouro Direto: Título do Governo Federal para saques diários onde o risco é menor quando falado em quebra de país
  • LCI: Investimento em crédito imobiliário atrelado à taxa DI com menor rentabilidade e mais interessante dentro de alguns cenários
  • LCA: Investimento voltado para o agronegócio em que esse é um dos maiores e de mais importância em nosso país

Poupança

  • Carteira: Rende uma vez ao mês na data de aniversário e atualmente é considerada obsoleta, mas os mais conservadores apostam nela pelo risco de quase não existir, mas não recomendamos

Qual é o momento correto para usar a sua?

Tenha sempre em mente que situações adversas podem surgir ao longo da estrada da vida, mas não é em qualquer um desses obstáculos que você deve usar sua reserva

A ideia é que o dinheiro seja utilizado de maneira que não comprometa todo o seu planejamento e em caso de emergência mesmo.

Se for acometido por doenças e não tendo um plano, é uma das formas que deverá aproveitar esse dinheiro para a sua saúde.

Agora, impostos, viagens, lazer e compra de material escolar, por exemplo, não devem entrar nessa conta, devido que já estão dentro da sua despesa mensal.

Principais cuidados para tomar com sua reserva de emergência

Tenha o seu dinheiro de forma segura nas opções que passamos, mas sabendo que riscos existem quando falamos de investimentos, mesmo que sejam baixos.

Jamais aplique o dinheiro da sua reserva financeira em investimentos de renda variável, visto que o risco de perder tudo é bem maior e a intenção é ter uma segurança financeira e não multiplicar seu dinheiro 100x mais da noite para o dia, por exemplo.

Assim, pense que esse dinheiro é uma forma de mantê-lo seguro para eventuais momentos conflitantes. Não gaste desnecessariamente e, na dúvida, mantenha-o na poupança.

Conclusão

Ter uma vida com uma reserva de emergência que lhe traga mais bem-estar no futuro é o melhor caminho para evitar perrengues aos acontecimentos inesperados da vida.

Além disso, só quem tem esse hábito de pensar no futuro consegue realmente viver de forma tranquila, sem ter que se preocupar com dívidas, juros sobre juros, CPF cancelado e outros problemas.

Então, faça um esforço e comece hoje mesmo a criar a sua reserva financeira, seja pensar em situações inesperadas ou para planejar seu futuro!