Guia rápido e descomplicado sobre juros do cartão de crédito

Tem cartão de crédito e não sabem como são feitas as cobranças dos juros nele? Quer entender mais sobre o assunto? Então, continue a leitura que vamos te ensinar tudo sobre!

juros cartão de crédito

Hoje no mercado brasileiro estimam-se existir cerca de 123 milhões de cartões de crédito. É comum vermos cartões na hora de pagarmos o bilhete do cinema, a conta nos restaurantes ou comprarmos algo em uma loja, não é mesmo? Mas, também é normal as reclamações sobre os juros do cartão de crédito, principalmente quando atrasamos ou não pagamos uma determinada fatura, onde o valor vem no mês seguinte acompanhado de multa.

Normalmente, esses juros são conhecidos pelo nome de rotativos e visam (por incrível que pareça) impedir o crescimento exponencial de uma determinada dívida. Os juros rotativos vão regular e informar na fatura o atraso. Além das taxas de juros do rotativo, também serão também cobradas multas, que podem chegar até 2%. 

E o pior desse tipo de situação é que no Brasil temos os maiores juros do planeta quando o assunto é cartão de crédito. No Japão os valores quase nunca chegam a 1% ao ano, o que é surreal se compararmos as taxas praticas aqui no país.

Por isso, se você faz o uso do cartão de crédito como meio de pagamento, precisa entender mais sobre os juros cobrados! Então, continue a leitura que vamos esclarecer para você as principais dúvidas sobre o assunto, para que possa se informar mais, evitar ter o nome negativado no SPC/Serasa e claro, descobrir maneiras de como ter o cartão como aliado durante as suas compras e não um vilão em seu orçamento. Vamos nessa?!

O que são juros de cartão de crédito?

Quando o cartão de crédito chega na casa do cliente, já possui valores de taxas de juros e também os limites que o banco ou financeira emissor estabelecem para gastar, seguindo como base a renda do usuário. Nesse sentido, os juros de cartão de crédito são conhecidos por juros do crédito rotativo e eles são cobrados caso o proprietário atrase ou não pague a fatura.

São denominados rotativos por cobrarem um valor, mesmo que mínimo, na fatura em atraso ou não paga até o prazo de vencimento, definido antes do recebimento do cartão.

No entanto, vale ressaltar que cada instituição financeira fica livre para estabelecer os métodos mínimos de pagamento, a redução de juros e a não cobrança de taxas. Por exemplo, muitos cartões de crédito hoje em dia não cobram a anuidade, especialmente os emitidos por contas digitais. Além disso, o cartão Digio isenta seus clientes dos juros rotativos, caso precisem pagar o mínimo da fatura.

Como os juros de cartão de crédito são cobrados?

Conforme já destacado, os juros são cobrados quando o cliente não efetua o pagamento mínimo ou total da fatura e quando deixa de lado aquela dívida (o que pode acarretar na inclusão do nome nos birôs de crédito, como Serasa e SPC, por exemplo).

O problema disso é que o somatório de juros que o seu banco ou financeira cobram fazem com que a dívida do cartão de crédito cresça muito e em pouco tempo, virando uma bola de neve. 

De acordo com o Banco Central, os juros rotativos só podem ser cobrados uma vez ao mês. Após isso, torna-se crédito parcelado o que é uma opção, em alguns casos, mais vantajosa ao cliente por possuir juros menores.

Nesses casos, a partir do segundo mês de atraso  no pagamento ou quitação apenas do mínimo da fatura, o cliente tem o direito de parcelar a dívida total, com juros mais baixos que o do rotativo.

Como funcionam os juros do cartão de crédito?

De maneira automática, os juros de cartão de crédito começam a ser cobrados quando o cliente não paga integralmente a sua fatura mensal. É basicamente o banco/financeira realizando um “empréstimo” para cobrir a despesa do usuário do cartão de crédito, naquele mês, devido ao atraso ou somente o pagamento mínimo da fatura.

O que precisa ser destacado a você leitor é que durante um tempo com esse atraso de pagamentos, torna-se uma dívida sobre a outra dívida com o acúmulo de juros.

É por isso que boa parte da sociedade brasileira ainda precisa entender como funciona e saber ter limites durante o uso do cartão de crédito, visto que esse é um recurso que quando não utilizado com prudência e planejamento pode gerar dívidas alarmantes.

Por que os juros do cartão de crédito são tão altos?

A resposta para essa pergunta está no alto risco assumido pelas administradoras de cartão de crédito no país. O que será primordial será o comportamento do usuário, que é avaliado por essas administradoras e com isso são feitos os cálculos de risco.

Um outro ponto é o reflexo do mercado nacional que passa por crises e a desvalorização de certos produtos. O problema desse cenário é que, normalmente, acontece o que chamamos de “gastar mais do que se arrecada“. Por exemplo, o orçamento fica apertado e os consumidores recorrem ao cartão de crédito para suprir o déficit de dinheiro no mês, mas essa é uma solução momentânea e muito perigosa. 

Além disso, outro fator a ser observado é que no país a concentração bancária é escassa e com falta de concorrência, as taxas cobradas são altas e constantes. Tudo isso influencia no aumento da inadimplência entre os brasileiros.

Como saber qual a taxa de juros do seu cartão?

É preciso que primeiramente o cliente tenha sido informado pelo banco/financeira sobre os juros e taxas aplicadas em seu cartão de crédito. Para isso, você precisa entrar no site ou aplicativo do cartão e verificar como estão sendo cobrados esses valores e o porquê.

Quando o seu cartão chegar na sua residência os valores já estão definidos pela instituição e seguem um padrão do mercado nacional e cada limite varia conforme a renda mensal de cada usuário.

Qual o limite máximo da taxa de juros dos cartões de crédito?

A Agência Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste), soltou um balanço no início deste ano de que os proprietários de cartão poderão ter juros superiores a 300% – chegando até 875%, com a fatura no que chamam de juros anuais. Ou seja, a regra é evitar ao máximo que a dívida do cartão de crédito torne-se um emaranhado de juros sobre juros. 

Uma dica importante é sempre calcular os seus gastos e evitar o pagamento mínimo da fatura. O nosso país possui a maior taxa global de juros quando falamos de cartão de crédito e a diferença é exorbitante quando comparamos com os 3% anuais em outros países.

Portanto, converse via Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC) do seu banco/financeira para saber os limites dos juros e tirar outras dúvidas.

Qual a diferença entre taxas e juros?

Os juros de cartão de crédito são a forma que os bancos utilizam quando o cliente não paga o valor total de uma fatura de cartão. Mesmo que o valor pago seja o mínimo, ainda assim, é cobrada uma parte na fatura. 

Já as taxas são aquelas que as instituições financeiras utilizam de maneira significativa desde o momento em que solicita um cartão até mesmo numa anuidade ou serviços que algumas instituições costumam cobrar. Podem variar entre anuidade, saque e segunda via do cartão por exemplo. Mas, atenção! Verifique quais taxas o seu banco/financeira costuma cobrar nas faturas e questione a veracidade de cada uma delas.

Quais juros são cobrados no cartão de crédito?

O juros está atrelado ao conceito de usar um dinheiro que não é seu por um certo tempo, uma espécie de compensação. Quando falamos de cartão de crédito é a soma de ações que causam esse efeito ao utilizarmos. Lembra quando escrevemos acima que trata-se de um “empréstimo” do banco/financeira? É isso. Mas, quem paga a conta é o consumidor, portador do cartão.

Nos cartões de crédito, dependendo das empresas, o utilitário já paga, mesmo que de maneira significativa taxas e até mesmo juros. São eles:

  • Anuidade: Os bancos/financeiras tendem a utilizar dessa cobrança somente uma vez em 12 meses. Uma espécie de taxa de manutenção ou proteção da conta. Alguns bancos mais modernos aboliram. E é possível parcelá-la também
  • Avaliação emergencial de crédito: São cobrados quando o cartão excede o limite.
  • Saque: Mesma situação da anuidade, alguns bancos tendem ou não cobrar pelo saque dentro ou fora do país. Alguns colocam limites mensais para não haver cobranças
  • Pagamento de contas: As contas tradicionais de uma casa como água, luz e telefone podem ser pagas via cartão de crédito e o banco pode cobrar uma taxa sobre esse serviço
  • Juros rotativos: São aplicados na fatura do cliente pelo não cumprimento de pagamento naquele determinado mês após o vencimento
  • Segunda via do cartão: Os bancos/financeiras emitem uma nova via de cartão após o cliente declarar perda, roubo ou furto e é também gerado um valor sobre

Juros por atraso no pagamento

São os juros rotativos que virão na fatura caso o cliente não pague corretamente de acordo com a data de vencimento do seu cartão. Dessa forma, serão somados os rotativos e multas que juntas podem somar 3% ao mês.

Juros Rotativos

São aqueles somados ao não pagamento total da fatura. Vale reforçar que eles são cobrados uma vez ao mês, conforme determinação do Banco Central.

Verifique sempre com o seu banco quais são essas taxas estão inclusas, faça um controle mensal dos seus gastos e procure pagar a sua fatura – mesmo que somente o valor mínimo. 

Como evitar pagar juros do cartão de crédito?

A regra é começar tendo apenas um cartão de crédito e respeitar a data limite para o pagamento mensal. Se possível também evite pagar somente o valor mínimo, até porque chegará um momento em que o cliente pagará o juros dos juros daquela dívida. E por fim,. procure o seu banco para saber quais juros está pagando e tenha uma educação financeira, para comprar com planejamento e dentro do seu orçamento.

Como calcular os juros do cartão de crédito?

O cálculo de juros do cartão de crédito é feito com base nos juros rotativos na fatura mensal com a data do prazo limite. O cliente gastou R$1.000 mil e pagou na fatura R$700, os juros virão somente em cima dos R$300 que faltam e nunca sobre o total da fatura.

Ranking com as taxas médias de juros para o rotativo do cartão de crédito

Para conferir qual é o ranking atual para o rotativo do cartão de crédito basta clicar neste link do Banco Central, no qual indica 55 instituições e as taxas de juros mensais e anuais praticas nos cartões de crédito no Brasil

Quais os cartões de crédito com os menores juros?

O mercado de cartões de crédito no país chegou a mais de 123 milhões de usuários. Essa modalidade tem ganhado adeptos por todos os cantos do país, que procuram melhores condições de uso nas realizações pessoais e pagamentos de contas.

O cartão de crédito é um bem bastante participativo na vida do brasileiro que o usa desde uma ida ao supermercado até um grande evento dentro ou fora do país, como viagens internacionais.

Assim, os bancos/financeiras utilizam desta prática para ganhar novos usuários e oferecer benefícios exclusivos, criando uma “disputa” grande nos últimos anos, na tentativa de oferecer o melhor cartão de crédito

Atualmente a Proteste soltou a lista dos melhores cartões com as taxas de juros mais baixas do mercado. Confira e faça uma avaliação antes de aproveitar quaisquer oportunidade!

  • Banco Inter Gold – 143,55%
  • Next Visa Internacional – 210,43%
  • C6 Bank Cartão C6 – 268,91%
  • Digio – 271,81%
  • Nubank – 385,17%
  • Banco Original Internacional – 402,47%
  • Itaú Credicard Zero – 417,70%
  • Pan Zero Anuidade – 747,19%
  • Banco Pan Básico – 747,19%

Banco Inter Gold

O cartão possui zero anuidade e a menor taxa de juros de acordo com o órgão da Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste). O IOF está em 6,38%, juros rotativos em 7,70% com multa de atraso 2%. E atualmente a empresa oferta várias opções para investimentos, descontos em lojas parceiras, cashback e nenhuma taxa adicional. O total no Custo Efetivo Total do Rotativo (CET), está em 143,55% ao ano.

CONHECER CARTÃO INTER GOLD

Next Visa Internacional

 

cartão de crédito Next Visa

 

Os juros do cartão Next Visa Internacional figuram na lista feita pela Proteste como sendo um dos mais baixos do mercado numa lista promissora. No CET Rotativo, o número chega em 210,43% ao ano, e zero anuidade também. Não à toa, ocupa o segundo lugar da lista no país dos que estão abaixo de 300% ao ano e é um dos preferidos por clientes de crédito.

CONHECER CARTÃO NEXT

C6 Bank

Cartão de crédito C6 Bank Mastercard

O cartão de crédito da C6 Bank possui alguns detalhes que precisam ser observados quando falamos sobre o uso do cartão e juros. Embora o C6 não cobre anuidade, é necessário se atentar aos juros rotativos no atraso da fatura. 

Tudo vai depender do cartão que a empresa oferece. Os modelos C6, Carbon e Business, possuem juros rotativos entre 10,7%, 7,7% e 7,7% respectivamente. O banco não cobra por saques quando comparado a outras marcas.

CONHECER CARTÃO C6 BANK

Digio

cartão de crédito Digio Visa Internacional

A Digio, que é o banco digital do Banco do Brasil e Bradesco, também opera com 40% do limite do cartão em pagamentos e transferências via Pix. Ou seja, o mesmo valor de juros cobrados em faturas mensais, 9,9%, estão entre os maiores da média no país. É preciso ficar atento para que no final das contas o uso do cartão não vire uma “bola de neve” para o seu bolso. 

CONHECER CARTÃO DIGIO

Nubank

cartão de credito Nubank Mastercard

O queridinho do Brasil, o roxinho, possui taxas de juros que variam entre 2,75% e 14%, conforme o tipo de cartão de crédito, o que pode chegar ao final do ano, de acordo com o Banco Central, em 421,79%. E no atraso de faturas são somados mais 2% de multa

A fintech (startup financeira), possui hoje a maior taxa entre as marcas que possuem mais de 1 milhão de clientes. Mas, para compensar a alta, a empresa oferece benefícios que têm chamado atenção dos clientes e novos futuros. 

CONHECER CARTÃO NUBANK

Conclusão

Prontinho, agora você já sabe exatamente o que é o juros do rotativo do cartão, como funciona a cobrança dessa taxa e como evitá-la, certo?!

Quem ditará o ritmo de uso será você, o usuário. Lembre-se de pesquisar, ligar no SAC do seu banco/financeira e averiguar detalhes que podem salvar o seu bolso no final das contas.

Além disso, estando a procura de um cartão de crédito para sua carteira ou já usando o mesmo há anos, sempre é importante comparar as opções disponíveis no mercado, bandeira por bandeira, para ter certeza de que realmente está com um produto vantajoso. E, nunca comprometa 30% do seu salário na fatura mensal.