Dívidas: Como negociar e conseguir bons descontos

Descubra aqui o que fazer para diminuir os juros e até mesmo conseguir bons descontos na hora de renegociar suas dívidas!

saco de dívidas e boneco de madeira algemado a ele

Quando o assunto são as dívidas em nosso nome, a maioria dos brasileiros chega a tremer de medo… Pior ainda, tem gente que esse assunto gera tanto estresse que prefere nem falar sobre, ignorando totalmente esse problema em sua vida financeira. 

Mas, o fato é que uma vez tendo uma dívida registrada em seu CPF, para sempre terá uma “âncora” lhe puxando para baixo. Inclusive, ao contrário do que muitos pensam, as contas em atraso não caducam, apenas deixam de ser constar no cadastro de proteção ao crédito depois de cinco anos. 

E não são poucas pessoas nessa situação. Segundo um levantamento da PEIC (Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor), realizado pela CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), em abril de 2021, cerca de 67% dos brasileiros estavam endividados.

Então, o que fazer? Como renegociar uma dívida e conseguir pagá-la pagando menos? É possível reduzir os juros cobrados? Quem deseja limpar o nome, tem acesso a bons descontos?

Bom, é isso que vamos lhe mostrar neste conteúdo exclusivo! Confira a seguir algumas estratégias de como acabar com as dívidas e sair do vermelho

1 – O que fazer para renegociar as dívidas?

Se a sua dúvida é como sair das dívidas, saiba que o primeiro passo é organizar as finanças, afinal, sem dinheiro sobrando, não é possível nem pagar as contas atuais, quanto mais os débitos pendentes, não é mesmo?

Por isso, antes de tudo é preciso que você tenha clareza do tamanho da sua dívida, para saber o quanto ela impactará o seu orçamento.

Além disso, é importante ter noção sobre quais são seus ganhos e gastos todos os meses. Somente assim conseguirá montar um plano viável de como sair do endividamento

A ideia é verificar o quanto ganha, o que sobra no mês e quanto poderia usar para pagar a renegociação da dívida. 

A partir disso, pode montar um planejamento saudável para quitar as dívidas sem comprometer o seu orçamento. 

Inclusive, isso diminui as chances de fazer novas dívidas e até mesmo de deixar de pagar as parcelas da dívida renegociada. 

2 – Faça um levantando de todas as suas dívidas 

Você quer saber como acabar com as dívidas no cartão de crédito? Ou são débitos atrasados de empréstimos e carnês de lojas?

Bom, muitas pessoas têm a vida financeira tão complicada, que simplesmente vão deixando para depois…

Assim, milhares de brasileiros não têm a mínima ideia de quais são as dívidas registradas em seu CPF. 

Só que se você não tem consciência de quais são as contas sem pagamento, não tem dimensão do que realmente deve no mercado, concorda?

Por isso, a segunda coisa a se fazer é checar a sua situação financeira no mercado.

Isso é muito simples e rápido, onde com apenas alguns cliques você consegue consultar o seu CPF nos principais birôs de crédito do país, tais como SPC, Serasa, Boa Vista e Quod. 

A nossa indicação é acessar a página do Serasa Experian, pois nela você consegue ter uma noção exata da situação do seu CPF, gratuitamente. 

3 – Faça uma lista de prioridades para o pagamento das dívidas

Para saber como economizar durante a quitação de suas dívidas, a dica é ter uma lista de prioridades.

Via regra geral, as dívidas com os juros mais altos são as que devem ficar no topo da sua lista.

São essas que você deve querer pagar primeiro, pois como os juros são maiores, elas crescem muito em pouco tempo.

Bons exemplos disso são os débitos com o cheque especial e as dívidas com cartão de crédito, que são as que têm as taxas de juros mais altas do mercado atualmente. 

Elas só devem ficar como segunda opção caso você tenha contas em atraso mais essenciais no dia-a-dia, como a falta de pagamento da conta de luz, água e moradia (financiamento ou aluguel, por exemplo).

Além disso, quem faz empréstimo com garantia, precisa ficar atento para não deixar de pagar, pois caso contrário poderá perder o bem deixado como garantia. 

4 – Saiba negociar as dívidas sem pagar os juros

Outra ótima forma de como acabar com as dívidas e sair do vermelho é quitar os débitos diminuindo os juros cobrados pela empresa credora. 

Normalmente, no momento que estamos pedindo crédito no mercado, estamos assumindo algum juro, pois essa é a taxa que faz a empresa ganhar por lhe emprestar dinheiro. 

No entanto, existem dívidas que são mais caras que outras, justamente porque as taxas de juros são diferentes. 

Assim, no momento que você deixa de pagar a conta assumida, os juros começam a virar uma bola de neve…

Então, uma maneira de tentar negociar as dívidas sem juros é “trocando” um débito por outro.

Por exemplo, se você tem uma dívida no cartão de crédito que cobra 12% ao mês de juros, é muito mais vantajoso para o seu bolso, contratar um empréstimo com juros menores, por exemplo, 8% ao mês.

Mas, cuidado para não tentar achar uma solução e acabar criando um problema maior ainda.

Caso decida fazer um empréstimo para pagar dívidas, pegue apenas o valor necessário e sempre pesquisando para encontrar a melhor opção, com os menores juros. 

5 – Negocie para conseguir descontos 

Agora que você já sabe o que fazer para acabar com as dívidas, a dica final é negociar com a empresa credora.

Da mesma forma que você tem interesse em pagar a conta e se livrar dessa cobrança, a empresa quer receber o valor e ter uma preocupação a menos. 

Por isso, entenda que a renegociação de uma dívida é um caminho de mão dupla.

Sendo assim, converse com a instituição a qual está devendo e busque um plano de pagamento que seja interessante para ambos os lados, não apenas para a empresa.

Geralmente, quanto menor o prazo de pagamento, mais você diminui os juros e consequentemente menos paga no final.

Além disso, se você puder quitar tudo de uma única vez ou dar uma boa entrada, melhor, pois o valor da dívida baixa bastante nesses casos.

Então, use e abuse do seu poder de persuasão para conseguir bons descontos na hora de como pagar dívidas acumuladas.

Conclusão

Prontinho, agora você já sabe exatamente como fazer para acabar com as dívidas, certo?!

Por mais que no início pareça complicado e seja mais fácil deixar a dívida “caducar”, entenda que esse não é o melhor caminho.

Ter dívidas pendentes em seu nome é ruim em vários aspectos, é uma conta que não para de crescer ao longo dos anos, você não tem mais crédito no mercado e pode até mesmo ter o seu CPF cancelado.

Então, não deixe esse problema se agravar em sua vida financeira! Quando o assunto são as dívidas, é melhor não tê-las, nem que para isso você precise trabalhar mais ou fazer empréstimos!