Cheque Especial: O que é, como funciona e qual o juros dessa opção de crédito

Com uma das taxas de juros mais altas do mercado, é preciso entender os motivos que fazem o cheque especial ser uma das piores opções de crédito

Cheque Especial: Tudo que você precisa saber

O cheque especial é uma modalidade usada pelos bancos para que o cliente tenha um crédito emergencial pré-aprovado dentro de sua conta corrente e que faça uso em reais necessidades. O usuário precisará ser informado pelo banco que determinados valores estarão disponíveis em sua conta e que sua utilização não muda conforme estão caindo os pagamentos mensais diários.

Neste guia, vamos destacar a sua importância e o quanto é preciso ficar atento aos juros, prazos e cuidados para não entrar num endividamento colossal que poderá acarretar o nome nos órgãos de proteção e também vamos apresentar outras opções que podem ser usadas numa eventual substituição com juros menores. Confira.

O que é cheque especial?

O cheque especial é mais uma modalidade de crédito, um tipo de empréstimo, disponibilizado pelos bancos/financeiras. Na realidade é depositado um valor para que o cliente de cartão de débito possa utilizá-lo da maneira que desejar em compras, pagamentos, saques ou transferências.

Pense que você tenha R$ 1.050,00 na sua conta particular e mais R$ 500,00 de cheque especial. Caso os seus mil e cinquenta reais acabem, você terá à disposição mais quinhentos emprestados pelo banco automaticamente.

Apenas para reforçar, todo empréstimo possui juros e você deverá pagar por aquilo que utilizou conforme destacado no exemplo. Mas vale também lembrar que alguns bancos oferecem o empréstimo sem juros dentro de um prazo em dias, mas se pagar no período curto não será cobrado valores extras.

Como funciona o cheque especial?

Vai depender muito do seu banco ou financeira. A regra é saber e tomar cuidado com os dias que ficou em débito com a tal instituição financeira para ver quais taxas específicas serão cobradas.

Tem bancos/financeiras que efetuam a cobrança já no primeiro dia útil do mês. Já outros esperam um certo prazo para que haja isenção de multas para assim cobrar juros.

Portanto, pesquisa quais bancos/financeiras trabalham com melhores condições de tarifas e o já conhecido Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) que incide como serão os empréstimos nos bancos no Brasil. Observe e compare antes de sair utilizando.

É possível sacar o dinheiro do cheque especial?

Sim. O cheque especial significa que o cliente do banco possui um valor na sua conta corrente e poderá utilizar de determinado valor em caso de emergências. Com esse valor extra é possível sacar, transferir, pagar contas e efetuar compras.

Como calcular os juros do cheque especial?

Alguns bancos utilizam da retórica de pagamentos já no primeiro dia útil do mês ou então negociam com o cliente um período de aproximadamente 10 dias para que ocorra o pagamento sem acréscimo de juros sobre determinado valor. Caso desconheça essa prática e valores o ideal é conversar com o gerente para saber o que está pagando.

Mas passando essa data, os juros começam a correr e a dívida aumenta. Dessa forma, o cheque especial é basicamente uma forma de empréstimo rápido de dinheiro e ideal para aqueles que estão financeiramente planejados e com pouco tempo de dívida ao banco/financeira.

Regrinha:

  • Saber o valor utilizado do cheque;
  • Quantidade de dias que ficou no negativo;
  • Saber o valor da taxa de juros ao mês (vai do banco).

Porque os juros do cheque especial é tão alto?

Os juros vão de 8% até 15% ao mês – vai depender da instituição financeira. E muitos bancos trabalham com juros compostos acrescidos de outras taxas, com mais uma porcentagem em cima do valor e não se esqueça do IOF.

Ficou perdido? Entre agora no site do seu banco e utilize a calculadora de juros do cheque especial. Inclusive em aplicativos já está disponível para não ficar assustado com surpresas que podem não fazer sentido naquele momento.

Outra regra é calcular com papel e lápis na mesa. Imagine que pegou R$ 300, por 15 dias, a 8% ao mês. Divida a taxa de juros por 100, multiplique o valor pelos dias. Nesse exemplo aqui ficará 100 x 15 x 0,12 que será igual a 180. Depois divida o total por 30 que dará 6. Com isso chegamos no valor estimado de juros por utilizar R$ 300 do limite, por 15 dias

Como saber quanto tenho de cheque especial?

Os valores vão depender do banco que fará o atendimento na sua conta corrente. E vai depender também da forma como você atua perante as suas finanças, ou seja, o banco poderá consultar seu nome nos órgãos de proteção ao crédito antes de oferecer esse tipo de crédito. Mas na via de regra haverá “guardado” na sua conta os valores que o banco assim desejar liberar. Eles ficam juntos com o seu dinheiro pessoal.

Como aumentar o limite do cheque especial?

  • Procure a agência responsável ou aplicativo;
  • Veja as possibilidades para aumento de cheque especial;
  • Seja um bom pagador para isso;
  • Tenha nome limpo;
  • Não extrapolar nos gastos no final das contas.

Qual o prazo para pagar o cheque especial?

A regra utilizada pelos bancos é de no máximo 10 dias para que o cliente tenha quitado os seus valores pessoais no cheque especial sem os juros acrescidos. Caso não cumpra esse prazo, os juros começam a correr e a dívida do cliente só tende a aumentar. A regra é estar sempre planejado para não cair no tempo e dever mais ainda o banco.

Como e quando devo usar o cheque especial?

Especialistas financeiros dizem que o cheque especial é para quem tem uma vida financeira planejada. Mas alertam também que devem usar com cautela devido que os juros variam entre 8% e 15% ao mês.

A regra é usar somente em situações de emergência que o salário pessoal ficou em falta e existe uma necessidade inusual naquele momento.

Uma dica aqui é trocar as dívidas caras por opções de crédito com juros menores que poderão ser feitas via consignado ou com garantias. De qualquer maneira evite surpresas no final das contas de cada mês.

O que acontece quando passa do limite do cheque especial?

Os bancos já sabem como acontece a utilização do cheque especial trabalha com a forma de aprovar maiores valores para utilização desse crédito. E para isso, trabalham com boas condições para que o cliente trabalhe com essa modalidade oferecida por eles.

Mas a sua utilização precisa de atenção para não cair numa bola de neve. E após ultrapassar o limite o banco poderá avisar ou então as compras serão automaticamente recusadas num estabelecimento. Pague em dia suas contas para não ficar negativado nos órgãos de proteção ao crédito.

O que acontece se não pagar o cheque especial?

Assim como qualquer outra dívida o seu nome ficará restrito e marcado nos órgãos de proteção ao crédito como SPC, Serasa, Boa Vista etc. Vão acumular juros e vai dificultar o seu acesso em novos créditos e oportunidades dentro do mercado financeiro como os cartões, financiamentos e novos empréstimos. Pague suas dívidas.

A dívida do cheque especial caduca?

Dentro de um período de 5 anos pode acontecer da dívida “caducar”. Ele não vai mais existir e será retirada dos órgãos de proteção ao crédito. Mas atenção! O banco ou financeira poderá cobrar os valores de forma extrajudicial e caso não pague constará no seu histórico financeiro.

Quais bancos possuem as menores taxas de juros no cheque especial?

Os bancos possuem de maneira independente formas de trabalhar tanto para o bem próprio como para oferecer melhores condições aos seus clientes e com o cheque especial isso não muda em nada. Por exemplo, alguns bancos atuam com oportunidades para seus clientes que vão desde juros baixos e melhores condições de pagamentos e tudo poderá ser feito via aplicativo também.

Alguns também trabalham com programas por pontos no intuito de fidelizar os seus clientes oferecendo mais ofertas de garantias. Abaixo vamos destacar os juros de cada banco via mensal para as devidas comparações. Segue:

  • Banco do Brasil pode chegar a 7,73% ao mês;
  • Caixa Econômica Federal pode chegar a 8% ao mês;
  • Itaú pode chegar a 8% ao mês;
  • Santander pode chegar a 8% ao mês + IOF;
  • Bradesco pode chegar a 8% ao mês.

Opções de créditos melhores que o cheque especial

No mercado de crédito brasileiro é possível utilizar outras modalidades que não seja o cheque especial e quando comparado passa a ser mais interessante ao seu bolso como por exemplo o imóvel em garantia que a taxa anual chega em 9,4%, aproximadamente.

Para se ter uma ideia, o cheque especial possui uma taxa de juros aproximada anual em 323%. O empréstimo pessoal fica em 120% também ao ano quando comparamos os dois. Até o juros do cartão de crédito tem ficado menor em 300% anuais e para aqueles que querem se aventurar no de veículos em garantias fica em 21% no período de 12 meses. Pesquise e faça as devidas contas para não cair em surpresas.

Principais riscos de usar cheque especial

É a velha e dita bola de neve que assola o trabalhador brasileiro em cair na ilusão de achar que está com “mais dinheiro” na conta. Pensamento errôneo e perigoso para entrar em dívidas e com juros altos.

Sem falar que no mercado existem melhores condições de créditos tipo o consignado que aceita pessoas com nomes negativados e pode ser a solução para o seu problema em particular.

Mas é ter a certeza de que sabe utilizar tal crédito disponibilizado pelo banco e não cair em surpresas após os tais 10 dias ofertados por ele para quitar a dívida.

Vale a pena usar o cheque especial?

Depende. Quando falamos na alta taxa de juros é melhor evitar. Mas se o cliente souber utilizá-lo somente para situações de extrema necessidade e que não existe outra forma de emergência é um bom caminho a se seguir desde que pague em dia para evitar os juros.

Mas lembre-se também que é possível fazer a redução de créditos pré-aprovados com o seu banco. Existe uma regrinha que até R$ 500 de limite você fica livre possíveis tarifas mensais aplicadas pelo seu banco. Pense que o cheque especial é uma oportunidade para ações de urgência e nada mais!

Vantagens

  • Fácil acesso;
  • Pagar em curto prazo;
  • Zero burocracia;
  • Saques;
  • Transferências;
  • Outros.

Desvantagens

  • Altos juros;
  • Perda de controle da dívida;
  • Inadimplência;
  • Nome sujo;
  • Processo extrajudicial.
  • Outros.

Como cancelar o cheque especial?

Basta que o cliente entre em contato com o banco e solicite o cancelamento. Caso tenha alguma pendência é recomendado também que pague para ficar livre de vez de problemas no futuro. Basta então procurar o gerente ou via aplicativo do celular.

Planeje as suas finanças de acordo com a sua real condição para que não caia em surpresas desagradáveis. Pense também na substituição de uma outra modalidade de crédito com juros menores ou então se não cabe no seu bolso não faça novas aquisições dentro do mercado.

Como sair do cheque especial?

Caso tenha alguma pendência com o banco, quite-a. Feito isso busque ou não soluções de créditos que façam mais sentido para as suas finanças e busque no mercado melhores condições de juros e formas de pagamentos que poderão salvar o seu nome nos órgãos de proteção de crédito.

Existem dentro das modalidades de empréstimo com garantias de veículos ou imóveis juros que podem variar entre 0,99% e 0,85% + IPCA ao mês, respectivamente, que poderão fazer a diferença. Assim como o consignado que está em 0,99%/mês e com parcelas menores.

Conclusão

O cheque especial poderá salvar você dos apertos diários e reais necessidades que poderão surgir a cada mês e haverá motivos que farão você não cair no endividamento no caso de pagar dentro dos prazos. Mas para aqueles que possuem dificuldades em manter a regra de pagar contas em dia é necessário buscar outras formas com melhores condições de juros e prazos que possam ser interessantes no final das contas. Pesquise, estude e faça cotações nos bancos ou financeiras.